MINISTRO DO MEIO AMBIENTE, RICARDO SALLES, É EXONERADO

O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) exonerou, nesta quarta-feira (23), o ministro do Meio Ambiente, Ricardo Salles. A demissão foi publicada em edição extra do Diário Oficial da União. No lugar de Salles, foi nomeado Joaquim Álvaro Pereira Leite, que ocupava o cargo de secretário da Secretaria da Amazônia e Serviços Ambientais do Ministério do Meio Ambiente. Leite também já foi diretor do Departamento Florestal da pasta.

Foto: Agência Brasil

Salles é alvo de duas investigações no Supremo Tribunal Federal (STF). Ele é investigado por crimes contra a administração pública, como corrupção, advocacia administrativa, prevaricação e facilitação de contrabando, praticado por agentes públicos.

Salles é alvo de inquérito, autorizado pelo Supremo Tribunal Federal (STF) a pedido da Procuradoria Geral da República (PGR), por suposta interferência em investigação sobre apreensão de madeira.

Além disso, o STF investiga o ministro por supostamente favorecer madeireiros criminosos na região amazônica.

Em meados de maio, Salles foi alvo de uma operação da Polícia Federal (PF). A PF apontou “fortes indícios” de envolvimento do ministro na facilitação ao contrabando de madeira, incluindo operações financeiras “suspeitas” envolvendo o escritório de advocacia dele.

Em abril, o chefe da PF no Amazonas, Alexandre Saraiva, encaminhou ao STF uma notícia-crime contra Ricardo Salles por atrapalhar a investigação de madeireiros envolvidos na operação Handroanthus, que apreendeu 43.700 toras de madeira supostamente ilegal.

Quem é o novo ministro

Novo ministro do Meio Ambiente, Leite foi conselheiro da Sociedade Rural Brasileira (SRB) por 23 anos. O grupo apoia a Frente Parlamentar da Agropecuária (FPA), conhecida como bancada ruralista da Câmara dos Deputados, e também apoiava a gestão de Salles no MMA.

Leite é formado em administração de empresas pela Universidade de Marília (Unimar) e tem um MBA pelo Instituto de Ensino e Pesquisa (Insper).

O novo ministro já faz parte do governo desde julho de 2019, quando assumiu o cargo de Diretor do Departamento de Florestas.  Em abril do ano passado, assumiu a Secretaria da Amazônia e Serviços Ambientais.

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: