ROBERTO FERREIRA DIAS AFIRMA TER SIDO USADO COMO “FANTOCHE” NAS NEGOCIAÇÕES DA COVAXIN

Roberto Ferreira Dias, ex-diretor do Departamento de Logística do Ministério da Saúde, afirmou em nota nesta quinta-feira (1) que teria sido usado como um “fantoche” para atingir ou proteger alguém nas negociações da vacina indiana, Covaxin.

Dias afirmou que irá entregar à Comissão Parlamentar da Inquérito (CPI) da Pandemia os registro de conversas com o servidor Luís Ricardo Miranda, que o acusou durante depoimento à CPI de ter pressionado as negociações da vacina.

Marcello Casal Jr./Agência Brasil

O ex-diretor confirmou ter conversado com o policial militar Luiz Paulo Dominguetti, que presta depoimento aos senadores nesta quinta-feira nas oitivas da CPI da Pandemia. Dominghetti alega ser representante comercial da Davati Medical Supply, que atuaria na intermediação da compra de vacinas da AstraZeneca. Contudo, Dias alegou que não conhecia Dominghetti e que ele foi levado até um restaurante pelo tenente-coronel Marcelo Blanco, que também é integrante do departamento de Logística do ministério.

“Nessa noite, Blanco chegou acompanhado pelo sr. Dominghetti, que até a presente data nunca havia figurado como parte nas trocas de comunicações oficiais entre ministério e empresa, sendo um desconhecido”, afirmou Dias na nota. “É importante frisar que, ao contrário do que é alegado pelo Dominghetti, o tema propina, pedido de dinheiro, facilitação… nunca foi tratado à mesa ou em qualquer outro ambiente em que eu estive presente”, concluiu.

Deputado Luis Ricardo Miranda também se defende das alegações de Dominghetti

O deputado Luís Miranda (DEM-DF) anunciou que vai pedir à CPI da Pandemia a prisão de Luiz Paulo Dominghetti, representante comercial da Davati Medical Supply. Dominghetti é ouvido nesta quinta-feira (1) pela CPI e mostrou um áudio supostamente enviado à Davati por Miranda em 24 de junho deste ano.

O deputado federal decidiu se defender imediatamente e afirmou que irá apresentar à CPI uma ata notarial com o áudio em questão na íntegra para que sejam tomadas as devidas providências em relação ao depoimento do representante comercial. O deputado afirma que o áudio exibido por ele foi editado e colocado fora de contexto para incriminar Miranda. Ele ainda afirmou que, com esse documento, é possível pedir a prisão de Dominguetti à cúpula da CPI.

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: