fbpx

Novo salário mínimo não tem aumento real e compra menos de duas cestas básicas, aponta Dieese

Novo salário mínimo não tem aumento real e compra menos de duas cestas básicas, aponta Dieese
Foto: Pixabay

Um levantamento do Departamento Intersindical de Estatísticas e Estudos Socioeconômicos (Dieese) mostra que o novo salário mínimo, vigente desde o início do ano, não teve nenhum aumento real em relação a 2021 e compra menos de duas cestas básicas. Segundo o Dieese, a alta da inflação fez aumentar os preços de três grupos de itens que compõem os orçamentos familiares: “Alimentação e bebidas”, “Transportes” e “Habitação”. Isso significa que os trabalhadores com renda muito próxima ao salário mínimo foram os mais afetados com o rebaixamento drástico do poder de compra.

O Dieese estima que 56,7 milhões de pessoas têm rendimento referenciado no salário mínimo no Brasil.

O departamento aponta que o valor, reajustado para R$ 1.212,00, não terá aumento real, apenas acompanha a inflação medida pelo INPC. O salário foi reajustado em 10,18%, enquanto a inflação do período aumentou 10,16%. Ou seja, o salário teve um reajuste real de apenas 0,02% em relação ao ano anterior.

Com R$ 1.212,00, é possível comprar menos de duas cestas básicas na cidade de São Paulo. O Dieese estima que o valor da cesta básica na cidade em janeiro deste ano deve ficar em torno de R$ 700. Assim, o salário mínimo nacional de R$ 1.212,00 terá poder de compra equivalente a cerca de 1,73 cesta básica, aponta o estudo.

A quantidade é é menor que a média entre 2008 a 2020. Segundo dados do Dieese, o salário mínimo necessário para fazer frente às despesas deveria ter sido R$ 5,9 mil em novembro do ano passado. Os dados de dezembro e janeiro ainda não foram atualizados.

Kelli Kadanus

Kelli Kadanus, jornalista, cronista, tia coruja. Escrevo para tentar me entender e entender o mundo. É assim desde que aprendi a juntar sílabas. Sonho em mudar o mundo e as palavras são minha única arma disponível.

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: