SENADO AVALIARÁ PL QUE AMPLIA GRUPOS PRIORITÁRIOS PARA RECEBEREM VACINA

Na última semana, a Câmara dos Deputados aprovou o Projeto de Lei (PL)  n° 1011/2020 que inclui mais grupos de prioridade dentro do plano de vacinação contra a covid-19. A proposta altera a Lei nº 6259, de 30 de outubro de 2020, busca garantir que profissionais do setor de transportes; segurança privada e pessoas com doenças raras que tiveram embolia pulmonar sejam imunizados em todos os municípios do país. 

O texto original de autoria do deputado federal Vicentinho Júnior (PL-TO), previa a inclusão apenas de profissionais dos setores de transportes de carga e caminhoneiros autônomos. O autor do projeto, justificou no documento que a vacinação destes profissionais é de extrema importância, pois este é um dos setores da economia que não parou durante este ano de pandemia causada pela covid-19. “Precisamos que esses profissionais estejam seguros para garantir o funcionamento do país da melhor maneira possível para enfrentar essa grave crise de pandemia mundial”, justificou. 

Foto: Rovena Rosa/Agência Brasil

A proposta foi alterada na Câmara pela deputada federal Celina Leão (PP-DF) e agora incluí na lista de prioritários para receber as doses do imunizante pessoas com doenças crônicas, doenças raras e que tiveram embolia pulmonar; agentes de segurança pública da ativa e os agentes da segurança privada que estejam comprovadamente em atividade externa. Além desses, o novo texto inclui os grupos que já fazem parte do plano de imunização: profissionais de saúde e funcionários que trabalham em ambiente hospitalar; pessoas com deficiência; idosos e indígenas.

Outros setores também foram incluídos no PL:

  • Profissionais do Sistema Único de Assistência Social (Suas), das entidades e organizações de assistência social, e dos conselhos tutelares que prestam atendimento ao público;
  • Trabalhadores da educação do ensino básico em exercício nos ambientes escolares;
  • Coveiros, atendentes e agentes funerários;
  • Profissionais que trabalham em farmácias;
  • Oficiais de justiça;
  • Profissionais de limpeza pública;
  • Empregados domésticos;
  • Taxistas, mototaxistas, motoristas de aplicativos;

Trabalhadores do transporte coletivo urbano;

  • Bancários;
  • Entregadores de aplicativos.

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: