STF: BOLSONARO ENCONTROU SEU MINISTRO TERRIVELMENTE EVANGÉLICO

O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) confirmou publicamente nesta quarta-feira (7) que pretende indicar o ministro da Advocacia-Geral da União, André Mendonça, para a próxima vaga no Supremo Tribunal Federal (STF). O ministro Marco Aurélio Mello se aposenta na semana que vem e cabe ao presidente da República indicar um substituto. Mendonça precisa do aval do Senado para assumir o cargo.

Bolsonaro fez o anúncio em entrevista à Rádio Guaíba, do Rio Grande do Sul. “Hoje em dia, é nossa intenção, sim, indicar o André Mendonça para o STF. Além de ele ser evangélico, — ele é evangélico, não quer dizer que é uma virtude dele, é um direito dele acreditar na Bíblia ou não acreditar. Mas ele tem um notável saber jurídico, é uma pessoa humilde. Nós fizemos uma sessão ontem aqui em Brasília, mas, se ele autorizar — como foi gravado e ele sabe disso, nós não vamos divulgar esse vídeo, não vai ter ninguém para divulgar porque não tem nada de secreto. Ele fez, falou por dez minutos sobre ele possivelmente no Supremo, o que ele achava do governo e também com sua convicção religiosa. Levou mais da metade das pessoas presentes — tinha mais, acredito que tinha umas 50 — às lágrimas. É um homem humano, sério, humilde. Falou que não abre mão das suas convicções. Respeita todo mundo. É uma pessoa ideal para o Supremo, muito boa para o STF”, disse o presidente.

Mendonça ocupou o cargo de ministro da Justiça e Segurança Pública depois que o ex-juiz Sergio Moro deixou o cargo, em abril do ano passado. Durante sua gestão, Mendonça perseguiu opositores do governo federal através da Lei de Segurança Nacional. O ministro da AGU é pastor evangélico e considerado fiel ao presidente. O nome de Mendonça já circulava como possibilidade para o STF desde que Bolsonaro anunciou que indicaria um ministro “terrivelmente evangélico” para a vaga.

A promessa, porém, não foi cumprida de imediato. A primeira indicação do presidente foi de Kassio Nunes Marques, que hoje ocupa a vaga deixada pelo ex-ministro Celso de Mello. A indicação foi definida por uma pressão do centrão.

Em reunião com o presidente do STF, Luiz Fux, na semana passada, Bolsonaro já havia anunciado a intenção de indicar Mendonça. Fux pediu a Bolsonaro para aguardar a aposentadoria de Marco Aurélio Mello para fazer a indicação publicamente.

Para assumir o cargo, Mendonça será sabatinado pela Comissão de Constituição e Justiça do Senado (CCJ). Na sequência, a indicação será submetida à votação no plenário da Casa. Ele precisará da maioria (41) dos votos dos 81 senadores para ser nomeado.

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: