Retrospectiva

Esse ano não foi fácil. Foi daquele jeito lá – como é que os jovens dizem? Tiro atrás de tiro? Pois então, foi. O ano nem acabou ainda, mas já o considero como pilar máximo que sustenta o que chamo de vida. Nada veio ao chão, muito menos eu. É claro que houve um deslizamento ali, outro acolá, mas desmoronamento? Nenhum.

A vida é isso aí mesmo. Um tal de tropeça, cai, levanta. Tropeça, cai, levanta. tropeçacailevanta ad infinitum. Mês atrás de mês, deixando tudo o que aconteceu nele e apenas nele. Coisas pequenas para preocupações demasiadas grandes nunca foram proporcionais entre si – talvez seja até por isso que às vezes é mais cômodo tropeçar e ficar ali pelo chão mesmo. Com tanta chuva caindo ao redor, não me admiraria caso caísse também uma lágrima do anjo que insiste em tentar me levantar. Os anjos só não existem para quem não acredita em sua existência.

Pessoas se foram, outras chegaram. Tudo bem, é a lei da vida, eles disseram. No dia em que eu descobrir quem são eles, não sei do que sou capaz. Até parece que fazem de tudo para me boicotar, será que é por eles que não consigo chegar onde sempre quis? Não chego porque tropeço, caio, levanto, tropeço mais uma vez e mais uma vez permaneço ao chão. É mais fácil – e mais fresco, faz muito calor aqui na Terra. Derreto-me em forma de pó, pois com tanta secura que se instalou já não há mais água que transpire de meu corpo. Esgotaram-se pelas lágrimas, escorreram pelo meu rosto dedos corpo. Tropeçaram, caíram, mas jamais se levantaram.

Últimos meses, últimos dias – só não digo últimos anos porque não é o que realmente quero. Espero momentos melhores de dias iguais. Os dias não foram ruins, apenas cansativos. Duros. Infinitos. Dias em que tropecei, caí e levantei incessantemente. E mesmo com tudo isso, com todos os arranhões e tropeços e quedas e sorrisos e lágrimas e fracassos e vitórias e tudo mais o que se imaginar, permaneço de pé. Em frangalhos, mas de pé. Quase caindo novamente, mas de pé. Com todas as dores e pesos que o mundo insiste em jogar contra mim, mas de pé.

Essa tríade tropeçarcairlevantar foi fundamental para estar aqui. Foi com ela que pude perceber que estou viva – e isso é bom. Mesmo com tanta coisa ruim acontecendo. Sendo assim, desejo a todos um excelente ano novo com ainda mais tropeços, quedas e levantamentos.

Advertisements

Tudo novo de novo

tumblr_oebp3ufqqn1ta0hnbo1_1280

Sabe aquela pessoa que você conhece há tanto tempo, mas nada acontece? Então, deixa ela pra lá. É sério, pensa comigo: você insiste tanto em algo que não tem retorno, se estressa, fica triste, chora, passa raiva… E pra que? Pra que chegar em um estado tão catastrófico como esse se você pode apenas respirar fundo e seguir em frente? Eu sei, é claro que não é fácil largar mão de algo que você quer a tanto tempo. Mas, ei, ano novo, não é mesmo?

Encara a realidade, encara tudo como uma mudança das boas, sabe como? Bota um sorriso na cara, agradece pelo que passou e bola pra frente. Além do dia de hoje, você tem mais 364 pra fazer a diferença, pra fazer algo realmente acontecer, pra dar valor naquilo (ou naquele) que te valoriza também. Ninguém disse que seria fácil, certo? Então vai pelo desafio mesmo, pois, me diz, que ano que não possui um? E quem é que não gosta de sentir aquele gostinho de satisfação depois de vencer um?

Olha só, entenda o seguinte, a vida não vai ser do jeito que você sempre quiser, ok? Vão ter os baixos, daqueles que te derrubam mesmo, mas vão ter os altos também, porque, acredite, você não está sozinho nessa. Sempre haverá alguém que estará ao seu lado, te apoiando independente do que aconteça. E é nisso que você deve focar, sabe? Não dá pra iniciar um novo ciclo preso ao passado, deixe o que não te faz bem lá atrás e olhe para a frente. Quem não garante que a parte boa do futuro não está logo aí, diante de seus olhos?

Não se culpe pelos erros dos outros, aliás, desculpe-se pelos seus. Ninguém é perfeito e todo mundo comete alguns no decorrer dos dias, né? Ah, não guarde rancor, não seja orgulhoso. Vá atrás, peça perdão, faça a sua parte. Se você não a fizer, quem garante que o outro fará? Entende? O mundo sempre irá girar ao seu favor se você for a favor do mundo. Portanto, certifique-se sempre de estar fazendo o bem, o seu melhor e o que irá mudar o seu próprio caminho. O seu caminho é você quem faz. Não é pai, nem mãe, nem ninguém mais. É você. E por que não começar por hoje mesmo? O primeiro dia do resto da sua vida?

Tenha em mente: ano novo, vida nova.
Pessoas novas.
Mente nova.

Conte contigo

Permitam-me dissertar sobre algo que muitos não compreendem e que me faz não compreendê-los. É sério, permitam-me que eu procure entender, ao menos, esse ponto de vista tão distante dos meus olhos. Como será que pessoas assim aguentam o tranco interminável que é a vida sem ter uma válvula de escape sequer? Elas trabalham dia e noite e, para se dispersarem daquilo, trabalham mais um pouco? É isso?

Veja bem, eu entendo que nem todo mundo gosta de ir a lugares x ou y, mas é difícil de acreditar que nada no mundo o tire de casa para ver a beleza que há além da janela. Há vida além dela, falo sério. Falo sério também quando digo que há beleza em coisas pequenas, como um sorriso, um abraço, uma música ou um pedido de desculpas. Sim, desculpas, aquilo que tantos temem em pedir, mesmo sabendo que não dói, que revigora, que faz bem. O que te faz bem? A certeza dessa sensação boa ou a angústia do que nem aconteceu ainda?

Pense bem, não tem pressa não. Aliás, ainda temos alguns dias para preparar aquela listinha com os desejos para o próximo ano. Você vai mudá-los dessa vez? Ou eles vão continuar sendo os mesmos de 3 anos atrás, onde você pede amor, alegria, saúde e paz? Você se ama? Você se ama o suficiente para que seja alegre, saudável e em paz? Você sequer se lembra de que pra tudo acontecer, o primeiro passo depende de você? Não é fulano, é você e nada mais. Ninguém mais.

Às vezes eu tenho essa impressão de que muitas pessoas buscam mostrar tanto e reter tão pouco. Reter é necessário também. Não somos nada sem a respiração que fazemos sem perceber, somos menos ainda sem os pensamentos e atitudes boas que praticamos sem ao menos entender. Não é preciso entender, é preciso fazer. Mudar. Compartilhar.

Penso que cada um de nós está aqui para realizar algo a alguém. Se não for por quem imaginou que fosse, que seja por você. Muita gente se esquece de si mesmo, o que é triste. Já cansei de ver pessoas fazendo tanto para quem pouco se importou e que não merecia. Quem acabou se acabando não era o outro não, sempre é quem tá na ponta, tentando, se doando. Digo que não há nada de errado em tentar, o que é errado é tentar, perceber que não dá certo e continuar tentando. O incerto. E que talvez nunca se transforme em certo.

O correto é perceber quem é você e para o que (ou quem, vai saber) você está disposto a lutar. Tudo se resume a uma única coisa: persistência. Se não for para mudar a própria vida, que seja a de alguém. Ou vice versa, vai de você.

Não se esqueça de onde veio, muito provavelmente é para lá que você voltará caso tudo saia dos trilhos e você não tiver mais com quem contar.

PS: só não se esqueça que mesmo achando que está sozinho, conte contigo.