O protagonista

Cansei. Da vida ofuscada pelo interesse. Do amor sob medida. Da atenção baseada na lei de troca. Da dor do acaso e descaso dentro do berço familiar. Eu não sei voar. Tenho medo de altura. Trago comigo apenas um corpo já flagelado pelo tempo. Dentro de mim uma luz que clama por piedade. Porque gosto apenas do abraço apertado dos braços de minha extensão. Da liberdade com a foça do vento no rosto. Da história contada por linhas tortas. E do laço eterno e dourado em meus dedos que, ainda, não me conheceu. O que posso dar é o que tenho dentro de mim. Sigo. Até o último despertar. Porque quem não é o protagonista da sua história, nunca terá história para contar.

Por Francisco


Francisco é o codinome de um leitor/escritor.

Quer ter sua crônica publicada aqui no Regra? É simples, basta mandar um e-mail para regradostercos@gmail.com. Sigamos juntos colando nas linhas aquilo que afoga o peito.

Advertisements