É possível ser feliz em meio as tempestades

Tempestade no mar interno

É difícil se sentir em paz. Encontrar o seu lugar no mundo. Olhar pra dentro e ver a si mesmo de maneira a contentar-se com a imagem que ali está. Eu sei que é, te entendo. A mente muitas vezes trabalha a mil por hora, não permitindo que encontremos a paz, a calmaria que nossa alma tanto clama. Tô sabendo que é foda. Mas se tem algo que também sei, é que encontrar em si a base para respirar tranquilo e ficar em paz com a imagem que vê em frente ao reflexo interno da alma é possível. Continue reading “Tempestade no mar interno”

Vídeo do Dia | O preço da inteligência é a solidão – Leandro Karnal

A solidão é um monstro que entra de mansinho na sua vida. No primeiro contato você se assusta, tem pavor, grita, chora e pede socorro. Mas com o passar do tempo você vai se acostumando com aquela presença. O monstro então vai chegando cada vez mais perto, e conforme ele se aproxima você passa a deseja-lo, afinal, só ele pode lhe consolar nesses dias tão frios. Até que quando se percebe, você já está com a cabeça encostada no peito peludo desse monstro, que agora para ti, mais parece um urso de pelúcia. Ele te abraça, te consola, te embala e te leva para longe de tudo aquilo que outrora lhe era fundamental. O que importa agora, é o seu sentir, o seu pensar, entender o mundo e principalmente não fazer parte dele.

Segundo Leandro Karnal, o preço da inteligência é a solidão. Esse é o vídeo do dia! Continue reading “Vídeo do Dia | O preço da inteligência é a solidão – Leandro Karnal”

Eu queria poder te ajudar

Começo esse texto apenas com verdades: sim, eu queria poder te ajudar. Utilizo o verbo no passado pelo fato de saber que talvez você nunca me dê abertura o suficiente para eu ao menos tentar entender o que se passa aí dentro. Eu sei que não é fácil lidar com sentimentos esquisitos e que te fazem se sentir a pior pessoa do mundo. Eu sei também que você acha que nunca vai dar nada certo na sua vida porque, sei lá, você foi predestinado a sofrer e encarar as piores consequências possíveis. Sim, eu sei que esse lance de gostar e não ser correspondido é algo cruel. Aliás, você pode achar que não, mas eu sei uma coisa a mais ainda: que as crises vêm e às vezes demoram pra passar. E é até por isso que eu queria poder entrar e ficar. Nem que fosse só pra te mostrar que você sempre terá alguém ao seu lado, sabe como?

Eu to tentando não insistir em algo que sei que não vale a pena, mas veja bem a minha situação. Veja o quanto é injusto eu ter que ver você, dia após dia, se mutilando por algo que nem condiz à sua pessoa. Não é a toa que a gente acaba deixando pra lá algumas pessoas que queremos bem, né? Entende agora que não é porque a gente quer, mas porque a gente precisa se distanciar de certas coisas? Eu não queria me distanciar de você, mas você meio que já fez isso sem eu pedir. Eu só pude aceitar, chega uma hora em que dá pra perceber que você não é mais bem vindo em um lugar. Então não vale me culpar por não estar junto contigo, ok? Porque eu até tentei, mas você fechou a porta antes mesmo de eu bater.

Sinto falta do seu sorriso e das suas piadas sem graça, mas eu acabo suprindo sempre em vídeos sem graça da internet. Eu finjo que foi você quem me mandou. Uma hora ou outra eu esqueço disso tudo e continuo tocando a minha vida em frente. Exatamente do jeito que já estou fazendo. Não é fácil, mas ninguém disse que seria. Crescer não é fácil, trabalhar com a mesma coisa todos os dias também não é. Várias coisas compõem a sua rotina e muitas delas​ você gostaria que não existissem. Normal, a vida é assim, ela faz com que a gente pense que não temos mais nada a perder – mas a gente sempre tem, nem que seja a hora.

Assim como comecei o texto com verdades, gostaria de terminá-lo dessa maneira também. Então aproveito pra dizer que a saudade tá doendo, mas já não é tanto assim quanto umas semanas atrás. Percebi que pra gente ter felicidade numa relação, é preciso que as duas partes queiram isso. E, infelizmente, da sua eu não vejo isso. Então fique aí com suas lamentações e esse seu jeito estranho de ser, eu já não quero me desgastar tanto com quem não quer ser ajudado. Porque é exatamente isso que está acontecendo: você não quer. E de verdade, tudo bem. Aprendi a dedicar o meu tempo apenas a quem se interessa pelo que tenho a oferecer. Você não se interessou e a vida aconteceu.

Eu ainda continuo querendo te ajudar. Só que, quando você quiser ser ajudado, talvez seja tarde demais. E aí não vou poder fazer mais nada, apenas torcer para que seja feliz – coisa que no momento você está sabotando.

E isso não é legal.
Nunca foi.
Nunca será.

Vídeo do Dia | Eu não quero vencer na vida – Eduardo Marinho

É preciso vencer sempre? No #VideoDoDia de hoje você conhecerá um homem que desistiu de vencer para viver. “Se acumular patrimônio fosse vencer na vida, quem acumulasse patrimônio não morria. Eu quero achar o sentido da minha existência, ou vou morrer tentando”. Com vocês Eduardo Marinho.

 

Você também pode ficar triste

A tristeza existe para que possamos gostar da felicidade
A tristeza existe para que possamos gostar da felicidade

A tristeza também faz parte da nossa vida, não podemos evitar isso. É graças a ela que valorizamos tanto os momentos de felicidade. É preciso o tumultuo para percebemos quão bem nos faz calmaria. Então da próxima vez que a dor bater à sua porta não fuja, cumprimente-a, a chame para entrar, abrace-a, compreenda os seus motivos e somente depois de tudo isso, convide-a gentilmente a se retirar com um “até logo”. Acredite em mim, isso também faz bem.

Se a vida fosse feita apenas de gozos não veríamos a felicidade de uma maneira tão positiva assim, seria apenas mais um sentimento, mais um estado de espírito. Você não liga para o asfalto da sua rua porque ele tem cor de asfalto e todos os asfaltos são iguais. Os sentimentos funcionam da mesma maneira, se eles tivessem todos o mesmo tom, seja de cinza ou de laranja, não daríamos importância para eles.

É por isso que eu venho lhe afirmar que a tristeza existe para que possamos gostar da felicidade, para entendermos o quanto ele é boa, o quanto nos faz bem e assim valorizarmos  a cada instante em que se faz presente. Já dei algumas dicas para atrair a felicidade para perto de você aqui no Regra, faça isso, mas sem pressa. Primeiro entenda o que trouxe a tristeza para o seu eu, visualize a lição que isso lhe trouxe, reflita. Depois sim, chame a felicidade e deleite-se nela e em todas as suas cores.

menina emo sorrindo

O seu sorriso pode salvar o dia

menina emo sorrindo
Um sorriso forçado às vezes ajuda

Mostre seus sorrisos por aí, escancare esses dentes. Sejam eles amarelos, brancos ou inexistentes. Desprenda os seus lábios, deslize-os para os cantos superiores da face, e faça a vida de alguém um pouco mais feliz. Tá, confesso que nem sempre ajo assim, pois a vida é um saco quando quer ser, né? Os problemas vem vindo e não dão tempo nem se quer pra processá-los. Aos poucos a boca vai ganhando peso, os lábios vão se colando de novo, e muitas das vezes precisamos fazer uma força fenomenal para não o deixarmos cair para além do queixo.

Leia: O mundo caiu ao meu redor, mas eu consegui sorrir

Mas eis que venho te contar uma magia, tipo uma simpatia que nos faz acalentar os momentos de maior tristeza: Sorria. Às vezes você sorri tanto para fazer com que os outros não fiquem perguntando o motivo da sua desalegria, que acaba acreditando na própria invenção e se pega cedendo a felicidade. Eu adoro isso, adoro ser esse mentiroso profissional, com um sorriso sempre pronto para brotar na minha face.

Aí do nada, logo você que estava todo borococho no seu canto, sorriu e acreditou que estava feliz, dessa maneira inspirou a outra pessoa, que também estava lá afundada nos B.Ó’s dessa vida de merda a sorrir de volta, aí a bola de neve desce ladeira abaixo trazendo sorrisos por todos os corredores da Terra. Eita coisa boa esses sorrisos salvadores da pátria.

Leia: É preciso falar sobre empatia

Alimente o seu ego da maneira certa

felicidade2Eu não quero passar em branco. Não quero morrer e ter ali o meu fim. Por favor, deixe-me fazer algo de importante nessa Terra. Não se iluda, não tenho esses desejos apenas por ser uma pessoa boa. Quero além de garantir o meu lugar no céu, massagear um pouco o meu – já flagelado – ego.

O que é pior, não fazer nada para ter dentro de si o orgulho de não desejar deixar um legado, ou dar o máximo de ti pelo próximo para que mesmo depois de sua ida para o além túmulo, alguém ainda o faça vivo nas lembranças? Eu prefiro ser esse segundo.

O ego sempre existiu e para sempre irá existir, não se iluda. Você não está livre dele e dificilmente ficará. A grande questão é a maneira que você escolhe para alimenta-lo. Eu escolho o alimentar sendo eterno no coração alheio. Acredito que dentro de todos os egoismos existentes nessa Terra esse é um dos melhores ou menos nocivo.

Felizes ou não

tristeza-eternizadaCrescemos ouvindo que somos senhores do nosso destino e que se quisermos realmente algo, conseguiremos. Mas isso é a pior das mentiras que se pode contar. Você não pode tudo, você não conseguirá tudo o que quer. A sua vida não será perfeita. Dificilmente você será feliz o tempo inteiro. Essa é a grande verdade, a pedra filosofal da nossa existência. No dia que você compreende isso, tudo começa a mudar de cor.

Não estou aqui dizendo que a sua vida será cinza e deprimente, estou apenas lhe avisando que momentos incolores também farão parte da caminhada. Você sonhará com coisas que jamais chegará a realizar. Se tenho uma certeza no peito, é que em um momento ou outro você irá se frustrar. Acredite em mim, eu ouso repetir que não estou dizendo que você terá uma vida ruim. Quem disse que uma vida boa é feita apenas de bons momentos?

Não importa se você realizará ou não os seus sonhos, apenas prossiga. Caminhe no sentido que achar que deve. Caminhe o quanto der. Vire a direção. Mude tudo. Vá sem planos. Não se abata com a tristeza. Não se deslumbre com a alegria. Felizes ou não, continuaremos existindo. Sigamos.

A eterna busca pela felicidade

Somos sedentos por felicidade. Todo dia, toda hora, procuramos encontrar maneiras para aumentarmos ainda mais a nossa capacidade de ser feliz. Um livro novo aqui, uma televisão nova ali, tudo é motivo para esboçarmos um sorriso em prol da nossa própria satisfação. Porém, se parasse para pensar sobre o que é a felicidade, você saberia responder? Você conseguiria distinguir a verdadeira da pseudo razão da sua felicidade? Respondendo por mim mesma: talvez sim, talvez não, vai depender muito do meu estado de espírito.

Nessa última semana, participei de um bate-papo com o português David Machado, autor de “Índice Médio de Felicidade”, a sua mais recente publicação. Lá, dentre tantos assuntos abordados sobre o livro, ele comentou bastante sobre a felicidade e como ela é encarada nos dias atuais. Por ser alguém que sempre tenta ser o mais transparente possível em meus textos, me identifiquei com o tema e procurei prestar o máximo de atenção naquela fala. A atenção foi tão grande que acabou virando texto – esse que você está lendo agora.

Uma das muitas observações que Machado fez, enquanto dissertava sobre a sua vida e criação, foi a de que as pessoas não sabem mais quando estão felizes. E tudo isso por conta da intensa tecnologia que temos inserida em nossas vidas. Não estou aqui para demonizar nada e nem ninguém, mas por um lado, o que ele aponta é verdade. Não sabemos mais quando uma ação – ou uma atitude – poderá nos arrancar um sorriso. Pior: não sabemos desde quando um único clique e/ou toque é responsável pela felicidade momentânea que quase todos insistem em ter.

É preciso ter em mente que a felicidade, como qualquer outro sentimento, não pode ser comprada. Isso acontece porque ela não é um bem comercial ou uma mercadoria que basta você dar as costas para que perca o seu valor. A felicidade é algo bom, puro e que merece receber a sua devida atenção. Ela precisa ser sentida e experimentada antes de ser julgada. Ela precisa fazer com que as pessoas a entendam antes de acharem que aquilo que sentem é realmente felicidade – coisa que quase não é.

A felicidade é um eterno aprendizado, ou seja, dia após dia ela é pesquisada, analisada e entendida. Para ser feliz, basta a prática. Assim como ninguém é sempre feliz, ninguém também é sempre triste. A tristeza pode ser descartada quando não está entrelaçada com o digital. O mal dessa era digital é a de justamente camuflar a tristeza, transformando-a magicamente em felicidade. O mal das pessoas inseridas na era digital é o de estarem perdendo a capacidade de verem as coisas bonitas da vida. E olha que ela é bem cheia de beleza.

Você não é obrigado a estar feliz em 100% do seu dia, mas pare pra pensar quanta coisa bacana deixou passar por estar focado demais na sua tristeza contínua. A vida não é feita de marasmos, ela é feita também de um conjunto gigantesco de atos, gestos e palavras que pode nos ajudar a enxergar além daquilo que você considera como normal. Aliás, o normal não existe, foi algo inventado para tentar encaixar todo mundo em um determinado tipo de padrão. E quando você se ver em situações assim, lembre-se da famosa frase que sua mãe provavelmente lhe proferiu: você não é todo mundo.

Não esconda do mundo a sua felicidade. Se você se encontra em um momento feliz, comente e compartilhe isso com os que estão ao seu redor. Você vai ver que a felicidade é como uma grande corrente e que, quando emitida por alguém, alguém mais irá recebê-la e emaná-la.

A felicidade não foi feita para ser escondida; ela está constantemente dentro de cada um de nós e só é preciso explorar um pouquinho mais o lugar em que está guardada.

A felicidade não foi feita para ser buscada incessantemente dia após dia; ela foi feita, na verdade, para ser compartilhada.