TAXA SELIC: UMA DAS MÉTRICAS MAIS IMPORTANTES DO MERCADO DE INVESTIMENTOS BRASILEIRO

Olá querido leitor/querida leitora! É com muita satisfação que chegamos à coluna “Pra que investir?” de número 25 aqui no Regra dos Terços. A você que tem acompanhado nossa jornada pelo mundo dos investimentos, o meu muito obrigado. Hoje, vamos aprofundar nosso conhecimento sobre a taxa Selic, referencial de juros básicos no Brasil. Você sempre poderá conferir minhas colunas anteriores nesse link aqui.

Temos acompanho, ao longo de 2021, diversas notícias sobre o contínuo aumento da taxa Selic. Mas qual é a importância dessa taxa para a economia, afinal de contas? Antes de continuarmos, cabe a explicação sobre o acrônimo: Selic deriva da expressão Sistema Especial de Liquidação e Custódia. Tal sistema, gerenciado pelo BC – Banco Central, registra todas as transações de compra e venda de títulos públicos do Tesouro Nacional entre grandes instituições financeiras.

O leitor mais atento pode estar se perguntando: em que momento o sistema Selic se transforma em taxa Selic? A circular 3.868 de 2017 do Copom – Comitê de Política Monetária define a metodologia do cálculo da taxa referencial. Em resumo, é uma média ponderada e anualizada das taxas de compra e venda dos títulos públicos efetuadas entre as grandes instituições financeiras no dia a dia. Por determinação do BC, grandes bancos e similares são proibidos de fechar seus caixas diários negativos, ou seja, terminar com menos dinheiro do que tinham no começo do dia. Para fechar eventuais diferenças, essas instituições emprestam recursos entre elas mesmas, lastreadas nos títulos do governo. Como toda operação de empréstimo, existe uma cobrança de juros – nesse caso, através de uma taxa nominada Selic over.

Por outro lado, a taxa Selic que estamos acostumados a ouvir falar no noticiário é outra – a Selic meta. Ela é definida a cada 45 dias nas reuniões do Copom, que, ao monitorar o ambiente macroeconômico brasileiro, toma a decisão de aumentar ou diminuir a mesma. Uma taxa Selic mais baixa estimula a tomada de crédito pelos agentes econômicos, aquecendo a economia, com a contrapartida de aumentar os índices inflacionários. Complementarmente, uma taxa mais alta desacelera o crescimento econômico, baixando também os índices de inflação. Desses pontos, deriva a grande importância da taxa que estamos discutindo.

De forma não menos importante, a taxa Selic desempenha um papel fundamental na vida de qualquer investidor. Por ser a taxa básica da economia, seus movimentos aumentam ou diminuem a remuneração atrelada à renda fixa, fundos e à renda variável. Por exemplo, títulos de renda fixa cujo benchmark são o CDI – outra taxa intimamente ligada à Selic – podem render mais ou menos conforme as decisões – ou sinalizações – do Copom.

Até a próxima semana!

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: