fbpx

Tempestade de poeira: sabia o que é o fenômeno que atingiu algumas cidades neste domingo

Tempestade de poeira: sabia o que é o fenômeno que atingiu algumas cidades neste domingo
Tempestade de poeira. Foto: Reprodução/Twitter

Na tarde deste domingo (26), um fenômeno chamado “frente de rajada”, popularmente conhecido como tempestade de areia, foi registrado em algumas cidades do Estado de São Paulo: Barretos, Franca, Ribeirão Preto, Presidente Prudente, Jales e Araçatuba. De acordo com Franco Nadal, meteorologista do Instituto Nacional de Meteorologia (INMET), os fortes ventos com poeira começaram no norte de São Paulo e chegaram até o Triângulo Mineiro.

Nas redes sociais, alguns moradores compartilharam fotos e vídeos das nuvens de poeira que cobriram as cidades.

Em algumas regiões a frente de rajada transformou o dia em noite.

Franco Nadal explica que esse fenômeno não é algo raro de acontecer neste período do ano, quando as temperaturas ainda estão se elevando e as chuvas estão prestes a começar. Por isso a tempestade de poeira podem acontecer com mais frequência durante a primavera e principalmente na região Sudeste.

“A primavera é a estação dos contrastes aqui no estado de São Paulo e na região do Sudeste como um todo. O que aconteceu é que houve a formação de áreas de instabilidade de chuvas e de tempestades que se agruparam aqui no centro do estado e se deslocaram para o norte de São Paulo. Lá estava muito quente, por que tem chovido muito pouco, o norte de São Paulo está passando por uma estiagem muito forte”, explicou.

De acordo com Franco Nadal, quando essas áreas de instabilidade e tempestade se agruparam, elas sugam o ar quente, que alimenta essas tempestades, introjeta isso na tempestade e sai com ventos mais frios que vão em direção aos locais mais quentes. O vento mais frio entra entra por baixo do ar quente e gera uma turbulência que levanta toda a poeira, gerando a tempestade de área.

Tempestade de poeira

O termo tempestade de areia remete às tempestade que acontecem no deserto, no entanto, Franco Nadal explica que material trazido pelas fortes rajadas de vento, que acontecem durante esses fenômenos, é composta não só por areia mais também por pó acumulado há meses no solo devido ao longo período de estiagem. Por isso, o mais certo é dizer tempestade de poeira.

A tempestade de poeira antecede a tempestade de chuva. Algumas cidades de São Paulo registraram chuvas moderadas. Em Franca, por exemplo, houve uma queda de temperatura de 11°C. “Isso não é uma frente fria, é uma frente de rajada de vento que teve, pelo menos, 200 km de extensão, ela pegou Franca e Olímpia”, explica.

Influência humana

Para Franco Nadal, a frente de rajada em si não é fruto exclusivo das ações de desmatamento e demais atividades de degradação do meio ambiente, no entanto, a poeira trazida pelo vento sim. Atividades praticadas pela agricultura como arar a solo para o plantio e também a colheita, deixam o solo desprotegido e seco, cenário perfeito para tempestades como a registrada na tarde desse domingo (26).

“O solo seco, entra o material particulado que entra em suspensão mais facilmente. Então a atividade humana ajuda a concentrar essa poeira, por que se você tem uma superfície vegetada menos poeira seria exposta. Parte dessa poeira vem de solos arados, secos”, avaliou.

Wanessa Alves

Estudante de jornalismo na Universidade de Brasília (UnB) e estagiária no Regra dos Terços. 

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: