fbpx

Vigilante do clube onde tesoureiro do PT foi assassinado é encontrado morto

Vigilante do clube onde tesoureiro do PT foi assassinado é encontrado morto

O responsável pelas câmeras de monitoramento do clube onde foi assassinado Marcelo Arruda, tesoureiro do PT e guarda municipal, foi encontrado morto no último domingo (17). Segundo a polícia, o corpo de Claudinei Coco Esquarcini foi localizado em Medianeira, no oeste do Paraná, e ele teria se suicidado. 

Esquarcini era um dos diretores da Associação Recreativa Esportiva Segurança Física de Itaipu (Aresf), em Foz do Iguaçu, onde o crime aconteceu. Ele seria o encarregado pela instalação do sistema de vigilância e tinha acesso às senhas e às câmeras de segurança do local. 

O vigilante era peça fundamental no caso, já que de acordo com a polícia Jorge José da Rocha Guaranho, acusado de assassinar o tesoureiro do PT, teve acesso às imagens do aniversário de Arruda antes de ir ao local e cometer o crime. Ainda não está confirmado que Claudinei teria mostrado as imagens do aniversário do guarda municipal para Guaranho, mas ele era uma testemunha importante no caso, por ser o responsável pelo sistema de monitoramento. 

De acordo com um depoimento, cedido ao Metrópoles, José Augusto Fabri, outro vigilante do clube, confirmou que a permissão para ver as imagens da câmera de segurança não era um procedimento comum. E que apenas Claudinei que era o encarregado pelo sistema poderia permitir que Guaranho tivesse acesso a elas.

Os investigadores do caso negam que Claudinei tenha fornecido as imagens de câmera de segurança ao policial penal.

Caso fosse confirmado que o bolsonarista foi até o local do crime já pensando em matar o petista, isso poderia mudar a direção da investigação, já que na última sexta-feira (15) a polícia concluiu que não houve crime político. Segundo a delegada Camila Cecconello, responsável pelo caso, Jorge Guaranho não teria planejado o ato e de acordo com ela não existem provas de que foi um crime de ódio pelo fato da vítima ser petista.

O bolsonarista foi indiciado por homicídio duplamente qualificado por motivo torpe e causar perigo comum.  O Ministério Público do Paraná (MP-PR) deve oferecer denúncia contra Guaranho ainda está semana. O policial penal segue internado no hospital, sem previsão de alta.

Rafaela Moreira

Jornalista, repórter do Regra dos Terços e diretora de programas de televisão na TV Band e na Rede Super.

Deixe uma resposta

La Brea da vida real Macabras pedras da fome surgem na Europa 3 músicos independentes que você precisa conhecer O que você não sabe sobre povos indígenas ​9 curiosidades sobre seu gato
%d blogueiros gostam disto: