7 MEDIDAS QUE PETRO PROMETE IMPLEMENTAR NA COLÔMBIA

Com 50,47% dos votos válidos, Petro tornou-se o primeiro presidente de esquerda da Colômbia. Entenda os desafios que a nova gestão deve enfrentar.

Mesmo com o voto facultativo, o segundo turno da eleição presidencial na Colômbia teve o menor índice de abstenção dos últimos 24 anos, representando um marco ao eleger o ex-guerrilheiro Gustavo Petro.

Gustavo Petro - Divulgação Facebook

Reforma tributária

Petro propõe uma reforma que não incida sobre empresas produtivas, mas ativos improdutivos, como os dividendos "das 4 mil maiores fortunas da Colômbia” e transferências para o exterior.

1

Gustavo Petro - Facebook

O objetivo é promover um aumento da arrecadação tributária do país, capaz de aumentar o espaço fiscal em cerca de 5,5 pontos do PIB por ano, reduzindo injustiças causadas por dividendos não tributados.

Gustavo Petro - Divulgação Facebook

Mudança na matriz energética

A gestão Petro pretende proibir a exploração de jazidas de petróleo, principal fonte de arrecadação do Estado colombiano através de exportações constantes.

2

Zbynek Burival

Além disso, Petro quer parar com o desenvolvimento de jazidas offshore (perfuração pelo mar), não renovar licenças para a exploração de hidrocarbonetos e proibir mineração em grande escala a céu aberto.

Pedro Henrique Santos

Mudanças econômicas

Na Colômbia, só 0,4% das propriedades concentram mais de 67% da terra produtiva. Por isso, Petro pretende implementar uma reforma agrária.

3

Gustavo Petro - Divulgação Facebook

O objetivo é permitir que famílias rurais (com prioridade para as mulheres) contribuam para a força produtiva do país e formalizem sua propriedade.

Gustavo Petro - Divulgação Facebook

Dessa forma, Petro irá encarar o desafio de desestruturar os latifúndios, um dos motivos centrais para a deflagração e manutenção do conflito armado de 58 anos entre guerrilhas, narcotraficantes, paramilitares e o Estado.

Dan Meyers

Estímulo à produção familiar

Embora o agronegócio seja lucrativo e represente 19% das exportações, pode deixar 7,3 milhões de colombianos na insegurança alimentar, segundo estimativa da Organização das Nações Unidas para a Agricultura e Alimentação.

4

Gustavo Petro - Divulgação Facebook

Por isso, Petro propõe a reforma agrária para estimular a autossuficiência na produção de cereais e proteína animal, promovendo direito à terra, apoio técnico, e subsídios aos pequenos agricultores.

Gustavo Petro - Divulgação

Remuneração da jornada dupla feminina

Petro propõe a criação de um Sistema Nacional de Cuidado que busca reconhecer como trabalho e recompensar financeiramente a carga de tarefas de cuidado das mulheres.

5

Jessica Podraza

Mudanças nas forças de segurança

Petro propõe tirar a obrigatoriedade do alistamento militar e ampliar o acesso à formação em Direitos Humanos para todos os membros das Forças Armadas.

6

Mostafa Meraji

Am disso, Petro pretende implementar ajustes na progressão de carreira militar, salários e regimes de pensões, visando equilibrar a perspectiva econômica com o objetivo de "desmilitarização da vida social".

Specna Arms

Como os militares não votam na Colômbia e não adotam preferências políticas, sentem-se incomodados com a postura progressista de Petro, que representa os guerrilheiros que os militares combatem em serviço.

Diego González

Combate ao feminicídio

Entre suas medidas de governo, Petro propõe a criação de um “sistema nacional de alerta precoce” para combater os feminicídios.

7

Anette Bratteberg

A Colômbia tem a décima taxa mais alta de feminicídios no mundo, pois de duas a três mulheres são mortas no país diariamente. Muitas delas morrem nas mãos de maridos, namorados ou parentes.

Armazém Memória - Flickr

Melanie Wasser

Por isso, para proteger as colombianas, a gestão Petro terá de enfrentar a violência sistêmica e de gênero, cometida por grupos armados e forças de segurança estaduais.

Gustavo Petro - Divulgação Facebook

créditos

reportagem

Letícia Fortes

Arrow

FOtos

Getty Images Pixabay Gustavo Petro - Divulgacão Facebook