A Rússia está no foco das tensões geopolíticas nos últimos tempos, devido à forte crise com Ucrânia e a iminência de uma guerra. Veja 7 violações de direitos humanos cometidas pela Rússia.

7 violações  de direitos humanos cometidas  pela rússia

1) Violação de privacidade A pandemia de Covid-19 aprofundou a restrição de direitos humanos na Rússia.  A privacidade foi o principal direito violado, principalmente com restrições sanitárias.

Don Fontjin

Michael Parulava

Em Moscou, pessoas com Covid-19 ou com sintomas de doenças respiratórias foram rastreadas por um aplicativo, que emitiu automaticamente muitas multas erradas no início da pandemia.

Além disso, o app enviava notificações push ao longo do dia, exigindo uma selfie imediata como prova de conformidade com o auto-isolamento. Após protestos, as notificações de selfies foram suspensas.

Isaac Quesada

Em junho de 2020, a Rússia criou um repositório digital nacional de dados pessoais, acessível às autoridades policiais e governamentais. Isso aumenta  a preocupação com violações  de dados e privacidade.

NeonBRA

2) Violação da democracia Em 2020, 77,92% dos russos aprovaram a Reforma Constitucional. A principal mudança foi estender a permanência de Vladimir Putin no poder até 2036.

Gayatri Malhota

3) Violação de direitos da população LGBTQIAP+ A Reforma Constitucional também definiu o casamento como uma união entre um homem e uma mulher. Projetos de lei buscam proibir pessoas trans de casar e ter filhos e casamentos homossexuais.

Sophie Emeny

4) Perseguição política O principal líder da oposição política russa Alexei Navalny afirmou que a votação foi uma enorme mentira, e mobilizou seus partidários para as eleições regionais de setembro.

Valery Tenevoy

Em agosto de 2020, Navalny foi envenenado por uma substância rara chamada Novichok, que  só pode ser fabricada em laboratórios avançados de propriedade  de governos  ou controlados  por eles.

Valery Tenevoy

Apesar das suspeitas, o Estado russo negou seu envolvimento no caso e prendeu Navalny em janeiro de 2021, por violar condições de uma sentença de liberdade de anos atrás.

Valery Tenevoy

Atualmente, devido à repercussão do caso na imprensa mundial e protestos populares, a União Europeia, os Estados Unidos e o Reino Unido negociam a liberdade do opositor político de Putin.

Valery Tenevoy

5) Violação de direitos reprodutivos A maioria dos hospitais de Moscou suspenderam o aborto legal durante a pandemia. Isso significa que as mulheres russas perderam seu direito de realizar um procedimento médico essencial e inadiável.

Gayatri Malham

6) Descaso com imigrantes Cerca de 8.000 imigrantes permaneceram presos em centros de detenção desde  o início da pandemia, pois o governo russo não realizou voo de deportações.

Cole Patrick

Autoridades russas alegaram falsamente que os migrantes eram responsáveis pelo aumento dos crimes no país durante a pandemia. Porém, não existem dados oficiais que identifiquem os responsáveis.

Paulo Buchabqui Rodrigues

Esse foi um pretexto para propor a criação de um aplicativo de rastreamento obrigatório para migrantes,  que também faria a vinculação de vistos de trabalhadores  aos seus empregadores.

Maxim Hopman

7) Violação das liberdades de imprensa e de expressão Acusados de terrorismo e traição ao governo, diversos jornalistas foram detidos ou censurados pelo Estado russo durante seus trabalhos.

Matt Chesin

Em 2020, um ano após a criminalização do “desrespeito às autoridades”, um grupo independente descobriu que a maioria dos acusados eram jornalistas que denunciavam a corrupção do governo Putin.

Ignat Kushanrev

Em julho e setembro de 2020,  a polícia russa revistou e confiscou computadores da redação da MBKh Media, que é um meio de comunicação de oposição ao governo russo.

Tycho Atsma

Korie Cull

Acusado de traição por uma cláusula muito vaga e ampla do Código Penal russo, o jornalista Ivan Safronov foi preso em julho de 2020 por acusações duvidosas de traição por parte do governo.

EV

Em dezembro de 2021, a Suprema Corte da Rússia baniu a entidade de direitos humanos Memorial, que denuncia perseguições políticas desde o governo Stalin e é considerado símbolo da democratização pós-União Soviética.

Clay Banks

A decisão foi decorrente de uma acusação da promotoria de que o Memorial não marcou seus relatórios como "agente estrangeiro”, que  é uma exigência para organizações com financiamento internacional.

Shalóm de Leon

Sobram indícios de que o governo russo legisla de  modo arbitrário e desumano. O banimento da Memorial Internacional representa a institucionalização do desrespeito aos direitos humanos na Rússia.

Rodolfo Stuckert

Paulo Buchabqui Rodrigues

créditos

reportagem

Letícia Fortes

Seta

FONTE

Human Rights  Watch Report 2021