Nos últimos anos, os limites entre democracia e autoritarismo vêm se tornando cada vez mais sutis. Entenda o que são autocracias e como elas ameaçam a democracia e os direitos humanos.

Democracia

As maiores autocracias  do mundo 

Gayatri Malhota

A autocracia é um governo em que o poder fica concentrado em uma pessoa, instituição ou partido político. O termo apenas descreve a concentração de poder, e não a presença ou ausência da democracia.

Isso significa que governantes autocráticos podem surgir em democracias, como é o caso da Hungria, Polônia, El Salvador, Índia, Filipinas, Estados Unidos (durante o governo Trump) e Brasil.

Jon Tyson

Gabriella Clare Marino

Os autocratas prosperaram no mundo pela falta de democratas com soluções viáveis para desafios como a pandemia de Covid-19, a desigualdade social, os preconceitos estruturais e  a questão climática.

É comum que os autocratas se mostrem como políticos populistas, que trazem soluções fáceis e desviam a atenção do debate político com falas racistas, sexistas, xenófobas ou homofóbicas.

Maria Fernanda Pissioli

Ao assumirem o poder, os autocratas buscam enfraquecer as limitações de seus poderes. Embora mantenham o processo eleitoral, atacam o debate público, a imprensa e a independência das instituições democráticas.

Nelson Jr./SCO/STF

Um dos ataques à democracia foi a investida do autocrata Donald Trump contra o resultado das eleições em 2020, nos EUA. Sobram indícios de que a invasão ao Capitólio foi feita por seus apoiadores.

Alan Santos/PR

Durante a pandemia da Covid-19, muitos autocratas ignoraram a ciência e falharam para proteger  a saúde e a vida das populações, tanto na adoção de medidas sanitárias quanto na compra de vacinas.

Xavi Cabrera

Até hoje, a China se recusa a contribuir com uma investigação independente para descobrir a origem  do coronavírus,  cuja transmissão  e contaminação começou em Wuhan.

Alejandro Luengo

Rússia, Uganda, Tailândia, Camboja e Cuba são exemplos de governos autocráticos que utilizaram a pandemia como pretexto para censurar manifestações contra o governo.

Jason Gamble

Os países negacionistas incluem Brasil, Egito, Índia, Hungria, Tajiquistão, Grécia, México, Nicarágua, Tanzânia (durante governo do falecido John Magufuli) e Estados Unidos (durante governo Trump).

visuals

Jeff Kigma

Outro aspecto dos autocratas é investir recursos públicos em benefício próprio. O Egito e a Rússia são países que investiram mais em armamento bélico do que em hospitais, escolas e no equilíbrio econômico.

Outro exemplo é o Brasil, classificado como autocracia desde 2019. Segundo o Relatório Mundial de Direitos Humanos 2019, o principal risco à segurança pública foi a liberação do porte de armas.

Marcelo Camargo/Agência Brasil

Na Rússia, as eleições parlamentares ocorreram com a proibição de protestos e cobertura jornalística. O governo envenenou e prendeu seu principal opositor político, Alexei Navalny.

ev

Markus Spiske

Nos EUA, o presidente Biden governa de maneira ambígua em relação aos direitos humanos. Mesmo prometendo uma política externa humanizada, continua vendendo armas a países do Oriente Médio.

Sara Kurffeb

A União Europeia também errou. A ex-chanceler alemã Angela Merkel contribuiu para a condenação global da China por crimes contra os direitos humanos, mas fechou um acordo comercial com o mesmo país.

Porém, enquanto  presidente da União Europeia, a Alemanha estimulou um acordo de investimento com a China, apesar do trabalho forçado do povo uigur em Pequim.

Christian Lue

Uma democracia saudável depende não apenas de eleições, mas do livre debate público, de instituições independentes e de uma imprensa atuante.

Gayatri Malhota

"A defesa dos direitos humanos requer não apenas a redução da repressão autocrática, mas também o aprimoramento da liderança democrática." Relatório Mundial dos Direitos Humanos (2022)

Christian Lue

créditos

reportagem

Letícia Fortes

Seta

FONTE

Relatório Mundial dos  Direitos Humanos (2022)