Igualdade de gênero: uma questão de comunicação

Diversos estereótipos associados a homens e mulheres mantêm a desigualdade de gênero na sociedade. Já pensou em desconstruir algumas dessas falas e expressões?

A busca por igualdade de gênero é uma preocupação da Organização das Nações Unidas (ONU) desde 2019, quando a entidade divulgou um relatório explicativo sobre o tema.

United Nations Photos

Marvin Kuhn

A igualdade de gênero vai além de equiparar mulheres e homens. Ela consiste em eliminar todas as falas, estereótipos e preconceitos que temos em relação aos gêneros feminino e masculino.

Como vivemos em uma sociedade preconceituosa desde a infância, abandonar os rótulos de gênero exige disposição para desconstruir falas, pensamentos e atitudes sexistas. Entenda como.

Kenneth Sorensen

Eliminar a atribuição de papéis sociais aos gêneros

1

Mapbox

A desigualdade de gênero é mantida pelos papéis desiguais que a sociedade atribui aos gêneros, como a tendência feminina de assumir dupla jornada de trabalho, isto é, o profissional e o doméstico.

Garantir visibilidade igualitária e justa

2

Norbu Gyachung

Visibilidade igualitária consiste em divulgar a identidade e o trabalho de ambos os gêneros, mas pode reforçar estereótipos, como a ideia de profissões "masculinas" e "femininas".

Já a visibilidade justa implica não apenas no reconhecimento, mas também no abandono de rótulos relacionados a homens e mulheres.

Jason Goodman

Incluir mulheres em postos de liderança, por exemplo, é uma visibilidade justa. Já a divulgação de fotos com mulheres em postos de apoio e homens no comando das empresas é uma visibilidade igualitária.

LinkedIn Sales Solution

Não diminuir as contribuições femininas

3

Toa Heftiba

Socialmente, atividades associadas aos homens são mais valorizadas do que aquelas associadas às mulheres, como o trabalho remunerado e o doméstico não remunerado.

O valor dessas atividades é determinado por preconceitos sociais, não pelo valor intrínseco. O cuidado com o lar é tão essencial quanto o trabalho em grandes empresas, mas é menosprezado por não ser remunerado.

Mika Baumeister

Não reforce estereótipos de gênero

4

Mariana JM

Profissões não têm gênero, porque os gêneros não têm capacidades inatas. Mulheres podem ser excelentes engenheiras, e homens podem ser ótimos cabeleireiros, por exemplo.

Retrate a diversidade

5

Elyssa Fahndrich

Nem todas as mulheres enfrentam os mesmos desafios. Existem critérios de etnia, renda, sexualidade, educação e cultura que se cruzam com o gênero e aprofundam o nível de desigualdade social.

Rochelle Brown

A junção de diversas desigualdades é classificada como interseccionalidade. Igualdade de gênero é uma questão de ajudar homens e mulheres de acordo com as necessidades de sua existência física e cultural.

Use linguagem sensível ao gênero

6

Sharon McCutcheon

Evite usar os termos "masculino" e "feminino". Esses termos diferenciam homens e mulheres por critérios biológicos, e não por identidades e subjetividades construídas socialmente.

A melhor prática é usar 'homem' e 'mulher', 'menino' e 'menina', mesmo quando precisar de um adjetivo relacionado ao gênero. Em vez de "empresárias femininas", você pode utilizar "mulheres empresárias".

Bruce Mars

Outra prática equivocada é usar termos genéricos de gênero, como "o homem" em vez de "humanidade", ou "língua materna" no lugar de "língua nativa".

Jr Korpa

Não vitimize

7

Etienne Girardet

Mostre homens e mulheres como participantes ativos na sociedade, em vez de vítimas. Isso não significa ignorar violências sistêmicas contra mulheres, e sim reconhecer a coragem que elas têm ao denunciarem a opressão.

Além disso, é importante retratar visualmente todas as pessoas, independente da condição social ou financeira, de maneira digna. Quaisquer condições de violência ou pobreza devem ser expostas com sensibilidade e parcimônia.

Molly Blackbird

Abra-se para ouvir  e melhorar

8

Tim Mossholder

Repensar nossa comunicação leva tempo. Abandonar estereótipos de gênero é um processo gradativo, constante e ativo, que vai exigir leitura, discussão e escuta ativa sobre o tema.

créditos

reportagem

Letícia Fortes

Seta

FONTE

Organização das Nações Unidas (ONU)